top of page
  • Foto do escritorDaiany Andrade

Procura-se novos guerreiros

Está aberta a temporada de treinamentos e a seleção de novos brigadistas



Disciplina, comprometimento, bom condicionamento físico, boa comunicação e interação com a equipe. Esses são alguns dos quesitos importantes avaliados durante os treinamentos para a formação de Brigadista em Prevenção, Controle e Combate a Incêndios Florestais realizados pela Brigada Aliança.


Além de ser o único caminho para se ingressar na corporação, as capacitações também têm o objetivo de formar um cadastro reserva para futuras contrações.


A temporada de treinamentos começou em abril com a formação de três turmas no estado de Goiás. O primeiro treinamento foi realizado de 8 a 10 de abril, no município de Alto Paraíso de Goiás; o segundo de 12 a 14, na sede do Parque Estadual da Serra dos Pireneus, no município de Cocalzinho; e o terceiro de 16 a 18, no auditório do Parque Estadual da Serra de Caldas Novas, em Caldas Novas.


“Eu sempre digo que combater incêndio é uma arte, é uma ciência”, disse o comandante da Brigada Aliança, Osmano Santos, que está à frente dos treinamentos, junto com o líder Juliano Lopes.


É um pouco da arte e da ciência que existe por trás do trabalho do brigadista que é passado durante os treinamentos. O conteúdo é dividido em cinco etapas principais: conhecimento teórico, atividades práticas, Teste de Aptidão Física (TAF), prova teórica e entrevista.


“Essa entrevista ajuda gente a conhecer melhor o guerreiro. Saber se tem disponibilidade para se deslocar para os combates, qual o objetivo que ele tem, por que quer integrar a nossa equipe, qual o objetivo dele daqui um ano, daqui cinco anos”, explicou Santos. 


Trabalho em equipe


Desde o treinamento, as turmas são divididas em equipes, como ocorre nos combates, inclusive com a escolha do líder e do sub líder. E os candidatos já são preparadas para ter a mesma conduta que é necessária em um combate, como, por exemplo, comunicar todos os movimentos ao líder e ao sub líder.


“Isso é necessário porque em um momento de evacuação rápida você sabe onde cada guerreiro está. Se um sai para fazer algo e não avisa, corre o risco de ficar para trás”, destaca o comando da Brigada.


Existem diferentes modelos de treinamento. O padrão básico, aplicado aos interessados em ingressar na Brigada, consiste em noções de segurança, técnicas e táticas para entrar no combate, apresentação do EPI (Equipamento de Proteção Individual) e dos equipamentos utilizados, além de ensinamentos básicos sobre cuidados e manutenção.


“Nós precisamos ter segurança, eficiência e eficácia”, esses são pontos fundamentais para a atuação nos combates, de acordo com Santos. Ele também destaca que nos treinamentos os candidatos aprendem os cinco conceitos conhecidos sob o termo “VICAROZA”, que são: vigilância, comunicação, rota de fuga e zona de abrigo.


“Quando você chega em um incêndio, precisa ter esses pontos bem claros para sua equipe e para todas as pessoas que estão com você. É o nível mínimo necessário para você colocar em prática em qualquer combate a incêndio florestal, de acordo com a gestão de risco”, disse.


E os treinamentos de 2024 continuam. O próximo será entre os dias 16 e 18 de maio, na Unidade Universitária de São Miguel, em São Miguel do Araguaia, Goiás. Outros treinamentos podem acontecer ainda neste semestre, mas não estão confirmados ainda.


Importante destacar que todos os candidatos que concluem o treinamento recebem certificado com carga horaria de 24 horas. A pré-seleção dos candidatos é realizada com base no formulário de inscrição e são escolhidos no máximo 30 candidatos para cada turma.


Ficou interessado em participar do treinamento? Clique aqui, faça a sua inscrição e boa sorte!  

 

 

82 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page