• luizfsa7

O bom trabalho vira boa notícia

Ações de combate e prevenção a incêndios ganham destaque na mídia nacional



A brigada é um time de corajosos, com muita garra, educação e muito organizados. Sem a ajuda sem dúvida o prejuízo seria bem maior”. O pecuarista e engenheiro agrônomo Divoncir Machado, proprietário da Fazenda Nova, na região de Anastácio (MS) resumiu assim o apoio que recebeu dos Guerreiros do Fogo da Brigada Aliança.


O depoimento foi dado à equipe de reportagem do programa Giro do Boi, do Canal Rural, que esteve na região de Anastácio (MS), onde está uma das cinco bases da Brigada Aliança no Pantanal. Machado, que além de produzir gado bovino em ciclo completo é produtor de soja, foi um dos grandes afetados num incêndio em agosto do ano passado, quando teve 550 hectares de pasto queimado, além de perdas de reserva de mata.


Segundo o pecuarista, o prejuízo só não foi maior por conta do trabalho do time de brigadistas. “Os guerreiros da Brigada Aliança são extremamente profissionais, pontuais e, acima de tudo, educados. Quando eles chegam numa fazenda isso brilha os olhos dos produtores. Como eles são educados!”, diz Mauro Ortega, âncora do Giro Boi. A reportagem foi ao ar na sexta-feira, 9 de setembro, é uma das muitas que, nos últimos meses, têm destacado a importância do trabalho da Brigada Aliança, seja no Pantanal, seja nas regiões de Cerrado ou zona de transição com o Bioma Amazônia. Além das cinco bases no Pantanal, criadas em parceria com a JBS Friboi, a Brigada possui outras seis equipes distribuídas pelos estados de Mato Grosso e Goiás, estas contratadas pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad-GO).


A presença mais constante da Brigada Aliança na mídia coincide com a chegada dos meses mais secos nessas regiões, quando os riscos de incêndios florestais aumenta muito. Antes mesmo disso, no entanto, as ações preventivas vinham sendo apresentadas por veículos de todo o país. No mês de junho, por exemplo, a iniciativa Abrace o Pantanal, com foco na redução do impacto dos incêndios florestais no bioma ganhou destaque. A ação reúne empresas e organizações com diferentes especialidades e áreas de atuação, entre elas a Brigada Aliança, o Instituto Homem Pantaneiro (IHP) e Polo Socioambiental Sesc Pantanal e a startup umgrauemeio, com apoio financeiro da JBS. O objetivo é proteger 2,5 milhões de hectares de área da região por meio da detecção precoce do incêndio, resposta rápida com a ação de brigadas florestais altamente equipadas e qualificadas e geração de dados analíticos, operacionais e de impacto na comunidade – com redução de CO2 estimada em 15 milhões de toneladas ao longo do projeto. A iniciativa chamou a atenção de portais como Um Só Planeta, Diário Corumbaense e Campo Grande News.



A Brigada Aliança também foi destaque em uma reportagem especial sobre o Pantanal da Rádio Agência Nacional. Caroline Nóbrega, gerente-geral da Aliança da terra, fez um alerta para a seca prolongada nas regiões Centro-Oeste e Sudeste neste ano. Os brigadistas tiveram que lutar contra chamas em maio, por duas vezes no Pantanal, uma situação atípica. Em um artigo de opinião, Caroline também destacou que a temporada de fogo começou bem mais cedo do que o previsto e as perspectivas são de um ano com riscos de incêndios ainda maiores em diversas regiões do Brasil. Com o período chuvoso terminando com índices pluviométricos abaixo da média histórica, viveremos um momento crítico e o terceiro ano consecutivo de secas prolongadas. “Se quisermos trabalhar menos no combate aos incêndios, precisamos atuar mais na prevenção. Produtores rurais precisam conhecer os fatores de risco nas propriedades rurais e atuar antes que os focos de incêndio efetivamente comecem a ameaçar reservas, produção e infraestrutura das fazendas”, afirmou Caroline durante o artigo que foi veiculado nos principais portais do agro, como Notícias Agrícolas, Agrorevenda, Revista Cultivar e Destaque Rural.


No mês de julho a Brigada Aliança ganhou destaque nacional no programa Globo Rural, mostrando ao público como é feito o treinamento para combate a incêndio nas fazendas. Os brigadistas percorrem as propriedades cadastradas e ensinam aos trabalhadores do campo as técnicas básicas de enfrentamento do fogo. Na reportagem é possível acompanhar um treinamento composto por aulas teóricas e práticas. “Nós aconselhamos que onde há transformadores e pontos de energia, que a área seja acerada para evitar um possível ponto de ignição”, destaca Isafas Balke, líder da Brigada Aliança em Pedra Preta.


É fundamental que os produtores rurais conheçam os fatores de risco nas propriedades rurais para que a atuação comece antes que os focos de incêndio efetivamente possam ameaçar reservas, produção e infraestrutura das fazendas. O programa Mais Agro, da TV Centro América, também exibiu uma reportagem no mês de julho destacando o trabalho desenvolvido pela Brigada na região do Pantanal. “A brigada é preparada para isso, eles vêm para a nossa propriedade rural e nos ajudam muito. Se a gente tiver com fogo na propriedade do vizinho, nós vamos junto com os brigadistas para o combate também”, afirmou na reportagem Márcio Granja, produtor rural. No jornal MTTV 2ª Edição, da mesma emissora, a relevância do trabalho desenvolvido pela Brigada Aliança na região foi também pauta para uma matéria.


Com o início da temporada de incêndios, em julho, o foco do noticiário migrou da prevenção para os combates. Ainda no mês de julho o time da Brigada Aliança foi ressaltado por evitar a queima de uma área de 1,5 mil hectares em Mato Grosso. O incêndio atingiu a fazenda Porteirinha, no município de Poconé (MT). “Se não fosse eles, tinha queimado mais da metade da fazenda, cerca de 1.500 hectares”, disse Euli Fernandes de Campos, gerente da propriedade. A matéria foi veiculada no Giro do Boi, do Canal Rural e também no portal Poconet.


A revista Globo Rural produziu no mês de agosto uma matéria sobre os investimentos em brigadas pelo país e a Brigada Aliança não ficou de fora. Caroline Nóbrega explicou na matéria que ainda é preciso mudar a mentalidade de quem só investe nas ações de combate ao fogo e não nas de prevenção. “Não tem que contratar brigadistas na época da seca. Todos têm que trabalhar para combater o fogo o ano inteiro”, garante.


A atuação de nossos brigadistas em um incêndio na Serra do Amolar, no Pantanal, também ganhou a mídia no portal Yahoo!. E na região de Goiás, o jornal O Popular citou a parceria entre a Semad-GO para a atuação das brigadas nas 13 unidades de preservação integral no estado.


A Brigada Aliança é uma das mais qualificadas equipes de prevenção e combate a incêndios florestais do Brasil e o trabalho está apenas começando. Fique de olho no nosso blog para acompanhar todos os detalhes da temporada de fogo 2022 e da atuação dos nossos brigadistas.

10 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo