top of page
  • luizfsa7

Vigilante a serviço da proteção ambiental

De guarda municipal a um dos líderes mais jovens da Brigada Aliança, Kaique Paz de Souza é o exemplo claro de que com determinação e disciplina se vai longe

Foi buscando melhores condições de vida que Kaique Paz de Souza, mato-grossense com 28 anos de idade, trocou um cargo público pela missão de proteger florestas e animais contra incêndios.


De guarda municipal a líder, o filho mais velho de dois irmãos, teve sua vida transformada após deixar o pequeno município de Serra Nova Dourada (MT) para se integrar à Brigada Aliança em busca de novas oportunidades.


Por meio da indicação de um primo, ele conheceu a organização e, após notar uma perspectiva de crescimento, tomou a decisão de deixar tudo para trás e começar uma nova fase em sua vida.


“Eu já estava procurando novas possibilidades quando meu primo, que na época trabalhava na Brigada, me falou que tinha um curso de brigadista em Caldas Novas (GO). Foi então que eu abri mão de tudo e me mudei. E aí, depois de sete dias de aulas e treinos, me tornei combatente”, lembra.

Disciplinado, com disposição para aprender, motivação para evoluir profissionalmente e com alguma experiência do campo, entrou na Brigada em 2020. Em pouco menos de dois anos, tornou- se um dos líderes mais jovens da organização.


“Depois de um ano e meio trabalhando como brigadista em Caldas Novas, teve um curso para formar líderes. Lá, por 15 dias, testaram minha vontade, meus limites e minha atenção. Como eu fui bem, recebi a oportunidade e fui transferido para o Parque Estadual de Terra Ronca (GO).”


Hoje, Kaique é responsável pela proteção da área do parque e pela liderança de cinco brigadistas. Para ele, esses profissionais são como uma família. Esse sentimento é claramente notado em suas atitudes em campo.


“No nosso dia a dia, costumo falar para eles que a vida da gente vem em primeiro plano. Eu busco passar não só orientações como também confiança. Afinal, no combate somos todos do mesmo time.”

Kaique com brigadistas da equipe


Vindo de uma família de agricultores, que sofre constantemente com as secas e as queimadas, Kaique sempre precisou lidar com o fogo, mesmo antes de se tornar brigadista. No campo com o pai, lutou inúmeras vezes contra as chamas e seus danos.


“Para evitar que o fogo atingisse a nossa propriedade ou que se espalhasse muito rápido, a gente usava um galho de pau com folhas e uns baldes com água. Não tinha esses aparelhos que usamos na rotina de trabalho hoje”, conta.


Quase três anos longe da Fazenda Iturama, o jovem aficionado por futebol e práticas esportivas, conta orgulhoso que o trabalho como combatente rendeu frutos não só para na vida profissional, como também pessoal. Neste tempo, além de ter conhecido a sua esposa, ele também pôde ajudar seu pai na propriedade.


“Depois que entrei para a Brigada, comecei a levar para o meu pai os meus ensinamentos e alguns equipamentos que poderiam ajudá-lo, como um assoprador e uma rampa. Hoje, além de emprestar os aparelhos para os vizinhos, ele também ensina tudo que vai aprendendo comigo. Acabou que trouxe mais segurança pra quem mora lá, né?”

Kaique e seu pai, Renê Alves de Souza, na Fazenda Iturama em Serra Nova Dourada (MT)


Em sua rotina, assim como outros brigadistas, Kaique realiza não só ações de combate a incêndios como também atividades de prevenção, que vão desde o monitoramento dos parques a palestras com famílias locais.

15 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page