top of page
  • luizfsa7

Aliança da Terra avança com o PMIF do Programa COPAÍBAS

Equipes da ONG já rodaram mais de 2,6 mil quilômetros de carro e 107 km em caminhadas por trilhas para realizar a caracterização da área e o diagnóstico socioambiental das três Unidades de Conservação envolvidas no projeto



Duas equipes da Brigada Aliança passaram os meses de novembro e início de dezembro envolvidas nas atividades de campo iniciais para a elaboração do Plano de Manejo Integrado do Fogo (PMIF) do Programa COPAÍBAS, iniciativa gerenciada pelo Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (FUNBIO). Os brigadistas rodaram 2.644 quilômetros de carro e caminharam 107 Km em trilhas para mapear informações sobre a Unidade de Conservação (UC) e visitar as comunidades que vivem dentro e no entorno dos Parques Estaduais cobertos pelo projeto.


O intuito foi realizar o levantamento dos aspectos ecológicos relevantes para a prevenção e manejo do fogo, bem como identificação dos recursos disponíveis na UC, tais como pessoal, materiais de uso e consumo, equipamentos, instalações e parcerias estabelecidas.


Além disso, os brigadistas realizaram um trabalho de pesquisa junto às comunidades locais, a partir de conversas e da aplicação de questionários, para o desenvolvimento de um diagnóstico socioambiental. As informações resultantes dessa etapa são o ponto de partida para entender a relação das comunidades com o fogo nessas áreas e para desenvolver o PMIF.


Dessa forma, a Aliança da Terra vai além de queimas prescritas e passa a integrar a participação da comunidade na prevenção de incêndios. Além do impacto direto no controle dos focos de calor, esse estágio do projeto agrega valor à inteligência social, pois integra as pessoas a todo o processo e mostra quão fundamentais são para a proteção dos parques. A prevenção dentro das Unidades de Conservação se torna, também, um trabalho de inclusão social.


Os brigadistas Kaique Paz de Souza e João Paulo Souza Melo ficaram responsáveis pelo Parque Estadual de Terra Ronca (PETeR), localizado em Goiás. Foram 15 dias de atividades, contando a partir de 31 de outubro, com 1.061 km cobertos de carro e 95 km em caminhadas por trilhas.


Já em terras mineiras, nos Parques Estaduais da Serra da Cabral e Verde Grande, o trabalho de campo teve início em 7 de novembro e durou 21 dias. Nesse período, os Brigadistas Osmano Melquíades dos Santos e Juliano Lopes dos Santos cobriram 1.583 km de carro, 12 km em caminhadas por trilhas e ainda navegaram 7 km de barco pelo Rio São Francisco.


O próximo passo é a elaboração do PMIF, de acordo com as características de cada Unidade de Conservação. O PMIF é um instrumento de planejamento para que as operações relacionadas à prevenção e ao combate de incêndios aconteçam com máxima eficiência.


Neste caso, o fogo é usado como uma ferramenta dentro de um conjunto de ações que, primeiro, contribuem para evitar o problema e, segundo, caso seja inevitável, facilitem e agilizem o controle e a eliminação do foco de incêndio.


Não se trata de uma padronização das soluções padronizadas, de forma que sejam replicáveis para todas as áreas. O PMIF é uma ferramenta de planejamento, gestão e manejo adaptativo, com uma abordagem específica para cada localidade.


Para saber mais detalhes sobre essa parceria da Aliança da Terra com o FUNBIO, acesse o material já divulgado aqui no nosso Blog. E veja abaixo quais e como são as Unidades de Conservação atendidas pelo Projeto COPAÍBAS.


Parque Estadual da Serra do Cabral (PESC)

Localização: Municípios de Buenópolis e Joaquim Felício (MG)

Área: 22.494 hectares

Descrição: Está localizado na Serra do Cabral, que integra a Cordilheira do Espinhaço, na região centro-norte de Minas Gerais. As altitudes variam entre 900 e 1.300 metros, com afloramentos rochosos; a vegetação é composta por veredas, matas e cerrado; a fauna é destacada pela presença de antas; a rede hidrográfica é abundante, com muitas nascentes, cachoeiras e piscinas naturais; e abriga vários sítios arqueológicos pré-históricos, inclusive com pinturas rupestres.


Parque Estadual Verde Grande (PEVG)

Localização: Município de Matias Cardoso (MG)

Área: 25.570 hectares

Descrição: O Parque está localizado às margens do Rio São Francisco e do Rio Verde Grande, na divisa entre Minas Gerais e Bahia, composto pelos biomas Cerrado e Caatinga. A UC é caracterizada por florestas e áreas alagáveis, com ninhais e lagoas marginais. Essas lagoas abrigam jacarés e capivaras e são um “berçário” de peixes, onde crescem alevinos que depois retornam aos rios.


Parque Estadual Terra Ronca (PETeR)

Localização: Municípios de São Domingos e Guarani de Goiás (GO)

Área: 57.000 hectares

Descrição: Esta UC se destaca por seu relevo espetacular com cavernas, grutas e formações rochosas únicas, abrigando um dos mais importantes conjuntos espeleológicos da América do Sul. Além disso, a diversidade da fauna e flora, presentes em áreas de Mata Seca, Cerrado e Veredas, torna-o um importante local de conservação da biodiversidade. O parque é um destino popular para espeleologia e ecoturismo, oferecendo a oportunidade de explorar cavernas e apreciar a beleza natural, incluindo cascatas, cachoeiras e rios de águas cristalinas.

19 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page