top of page
  • Foto do escritorDaiany Andrade

Aliança da Terra apoia a formação de brigadas de incêndios na Bacia do Alto Tocantins

Entre 2023 e 2024, foram realizados cinco treinamentos que capacitaram mais de 60 pessoas para atuar no território de um Plano de Ação Nacional dedicado à conservação da flora ameaçada do Cerrado

O Cerrado brasileiro, segundo maior bioma da América do Sul, é um tesouro natural repleto de biodiversidade e riquezas ecológicas. Conhecido como a "caixa d'água" do Brasil, devido à contribuição para as principais bacias hidrográficas do continente, abriga uma diversidade de espécies de plantas e animais, muitas das quais são endêmicas, não sendo encontradas em nenhum outro lugar do mundo.


Além da importância ambiental, o Cerrado também concentra populações com um vasto conhecimento tradicional e possui um grande potencial econômico, com produtos nativos que sustentam comunidades locais e que têm valor comercial crescente.


É a biodiversidade deste bioma que o Plano de Ação Nacional para a Conservação da Flora Ameaçada de Extinção da Bacia do Alto Tocantins, ou simplesmente PAN Bacia do Alto Tocantins, tem como missão conservar.


Oficializado em junho de 2023 por meio de portaria publicada no Diário Oficial da União, o plano estabelece estratégias para conservar 98 espécies de plantas em risco de extinção, que são encontradas em parte do território de Goiás e Distrito Federal, conforme classificação do Centro Nacional de Conservação da Flora (CNCFlora/JBRJ).



O PAN Bacia do Alto Tocantins visa, portanto, ampliar em 5 anos as medidas de conservação para essas espécies, os ambientes e a manutenção dos serviços ecossistêmicos, envolvendo a comunidade neste esforço coletivo.


Para isso, foram definidas 24 ações prioritárias agrupadas em quatro objetivos estratégicos, que abordam temas como pesquisa e monitoramento, capacitação e comunicação, manejo e conservação, além de políticas públicas.


O plano conta com a participação de 105 colaboradores de aproximadamente 43 instituições. Uma delas é a ONG Aliança da Terra, que, dentre várias ações importantes, apoia a capacitação de brigadas de incêndio voluntárias para  atuação no território do PAN Bacia do Alto Tocantins.


“Dentro da ação que a Aliança da Terra é a instituição articuladora, o desenvolvimento desses treinamentos visa o fortalecimento das brigadas locais, mas não é só isso”, explicou a coordenadora de projetos da ONG, Joisiane Araújo, que acompanhou o processo de criação do plano.


Entre 2023 e 2024, foram formadas 66 pessoas durantes os Treinamentos Básicos para Formação de Brigadistas em Prevenção, Controle e Combate a Incêndios Florestais. Essa iniciativa, que apoia a formação de brigadistas para atuação no território, contribui para a mitigação de incêndios florestais que afetam as espécies e seus ambientes.

 

No total, cinco treinamentos foram realizados em Goiás, nos municípios de Pirenópolis, Cocalzinho de Goiás, Jaraguá e Alto Paraíso de Goiás.

 

O treinamento básico consiste em noções de segurança, técnicas e táticas para combater o fogo, apresentação do EPI (Equipamento de Proteção Individual) e dos equipamentos utilizados, além dos ensinamentos sobre os cuidados e a manutenção desses equipamentos.

 

Além disso, nos próximos cinco anos, a Aliança da Terra desenvolverá outras atividades que estão previstas na ação que articula no PAN.

 

“Ainda tem várias outras atividades, como realizar diagnósticos do fogo em áreas prioritárias do PAN, diagnósticos socioeconômicos sobre as motivações do uso do fogo no entorno das Unidades de Conservação, pilotos de manejo integrado do fogo, entre outras”, disse Joisiane.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page